A medicina preventiva pode ter um papel muito importante. A população brasileira está envelhecendo. É sabido que, muito disso, se deve às melhorias na saúde pública, que vem investindo cada vez mais na medicina preventiva. Esta prática é de extrema importância para a melhoria da sociedade. Venha saber mais acompanhando o texto!

O que é a Medicina Preventiva?

A medicina preventiva é definida como ações realizadas antes de qualquer sintoma de doença. Ou seja, são práticas que estão focadas em prevenir doenças e não necessariamente tratá-las.
Esse tipo de prática auxilia pessoas de todas as idades.

Diversas são as formas que podem auxiliar essa proatividade médica, que visa proteger o organismo de possíveis malefícios futuros ou de níveis avançados de doenças que dependam apenas de tratamentos paliativos. Dentre os métodos, podemos destacar:

● A realização de exames periódicos;
● A adoção de uma dieta balanceada e saudável;
● A prática regular de exercícios físicos;
● As aplicações de vacinas.

O pensamento a longo prazo é o que norteia esse importante tratamento. A medicina preventiva é pensada para que, em um futuro tanto próximo quanto distante, possíveis doenças ou deformidades já sejam logo descartadas, afinal, o corpo já está fisicamente bem preparado para recebê-las. Assim, não é mais necessário pensar que as pessoas devem ter apenas um bom atendimento clínico quando já estão doentes. A manutenção da saúde agora se torna palco principal da qualidade de vida da população.

medicina preventiva no brasil

Os níveis da Medicina Preventiva.

Como todo tratamento, a medicina preventiva também possui uma determinada organização. Dividida em quatro etapas, passa por diferentes fases com diferentes formas de intervenção. Observe a seguir:

● Fase Primária

Atuando no primeiro nível, é focado na pré-exposição à doença. Aqui, a pessoa nunca teve contato com nenhum fator de risco, mas é necessário cuidado para, justamente, evitar esse contato. Medidas como as campanhas de vacinação, o uso de protetor solar, a melhoria da alimentação, a diminuição do consumo de álcool e do tabaco e a prática de exercícios físicos são as principais formas de precaução contra doenças.

● Fase Secundária

No segundo estágio, o paciente já teve contato com uma doença detectada por um diagnóstico precoce, mas ainda não chegou em seu estado avançado. Assim, o foco é agir de forma rápida e assertiva para evitar a propagação e evolução da doença.

● Fase Terciária

Nessa etapa, o paciente já está apresentando sintomas. Assim, o que é feito é a tomada de ações para o controle da doença, a fim de não deixar com que ela tome espaço e afete as funções do organismo, permitindo que o indivíduo tenha uma vida normal. Para isso, se observam os tratamentos mais cabíveis àquela determinada situação.

● Fase Quaternária

Aqui é visado estabelecer limites de tratamentos. Em outras palavras, é observado quais os casos em que os pacientes não precisam de determinados procedimentos com remédios ou cirurgias, métodos esses que podem ser invasivos e desnecessários

Uma alternativa para a melhoria da saúde pública.

Como tendo visto nesta matéria, a medicina preventiva é uma importante prática para levar a um desafogamento dos hospitais. Pois se existe uma preocupação em evitar as doenças e este objetivo é alcançado, as filas dos hospitais diminuem a grandes níveis, reduzindo a superlotação dos mesmos e também os custos com atendimentos de emergência e tratamento de doenças.

Gostou do conteúdo? Esse texto foi desenvolvido pelo Blog UpCuesta, e divulgado pela R-Crio. Visite o blog da UpCuesta para mais conteúdos sobre saúde.


Summary
Article Name
Medicina Preventiva
Description
Conheça as fases da medicina preventiva e como essa prática está cada vez mais moderna, buscando longevidade com qualidade de vida para a população.
Author
Publisher Name
R-Crio Células-tronco