Todos nós sabemos que a ciência e tecnologia avança rapidamente. Entre as áreas de avanço da ciência, a saúde é uma das protagonistas. Naturalmente, a área da saúde é uma das áreas que mais possuem investimento e inovações, já que essa área de estudo sempre foi desafiadora e intrigante para cientistas do mundo todo. Atualmente, a medicina enxerga novos desafios, principalmente focados no combate das doenças do envelhecimento. A busca por qualidade de vida está cada vez maior à medida que as pessoas estão chegando nos 80, 90, 100 anos com muito mais frequência. As células-tronco já são uma peça central nessa busca, mudando os parâmetros da medicina tradicional. No texto de hoje vamos descrever a medicina do Século XXI, os novos desafios, e tudo que está envolvido na medicina com células-tronco.

A Medicina no Século XXI

Se você vem acompanhando nossos textos de blog, sabe o quanto falamos sobre a busca da longevidade com qualidade de vida. Resumidamente, hoje estamos vivendo muito mais. Em média, são 20 anos a mais do que a população dos anos 50. Cada vez mais vemos pessoas com 90 anos de idade saudáveis, desempenhando atividades com praticamente a mesma eficiência de jovens e adultos. A verdade inconveniente é que nosso corpo não foi feito para viver tanto assim. Na natureza, não há saneamento básico, tratamento de esgoto, água potável e nutrientes em abundância, vacinas e medicamentos. A ciência e tecnologia avançam cada vez mais, permitindo que tenhamos mais ferramentas para “enganar” o envelhecimento.

Apesar de todos benefícios que o avanço da medicina nos proporciona, ainda há condições que não possuem cura. São as chamadas doenças degenerativas, muitas relacionadas ao envelhecimento. Da mesma forma que um automóvel, nossas “peças” começam a falhar depois de um tempo. E o aumento da longevidade só está contribuindo para isso. Por isso hoje, no Século XXI, o desafio da medicina é tratar as doenças degenerativas. Para essas doenças, não há antibióticos ou anti-inflamatórios.

Medicina com Células-tronco.

A medicina hoje trata essas doenças com métodos paliativos. Um paciente com diabetes, por exemplo, não tem solução contra a doença. A melhor opção é utilizar doses de insulina, além de adequar sua alimentação e hábitos. Veja bem, nesse caso, a doença não está sendo tratada em sua causa raiz. Ela está sendo remediada terapeuticamente para aliviar os sintomas da falta de produção de insulina. Outro caso é na prática esportiva. A medicina do esporte, muitas vezes, utiliza elementos mecânicos, como parafusos, placas e próteses, para tratar a lesão ou degeneração da cartilagem do joelho.

A medicina regenerativa vem para mudar isso. Diversas áreas da saúde utilizam células-tronco para a regeneração de tecidos lesionados e outras finalidades. No mesmo exemplo da ortopedia, um atleta com as células-tronco armazenadas poderia gerar novas células de cartilagem para serem implantadas em seu joelho. Assim, as células-tronco poderiam controlar a resposta inflamatória do local e induzir a regeneração (e formação) de novas células da cartilagem no local.

Células-tronco como “peças de reposição”.

Já imaginou ter uma parcela de seu corpo jovem armazenada para ser utilizada pelo resto da vida? É sobre isso que é a criopreservação de células-tronco. Ao longo da vida, nosso organismo troca as células do corpo, processo que caracteriza o envelhecimento. O corpo forma novos neurônios, novas células produtoras de insulina, novas células da pele. Mas, com o tempo, essas células vêm com pequenos defeitos, caracterizando o envelhecimento. Neurônios já não se comunicam como antigamente, a pele já não é tão elástica, e pode ser que as células do pâncreas já não produzam a insulina como antigamente.

Então, ter as células-tronco guardadas como forma de prevenção significa ter acesso ao seu corpo jovem, antes mesmo da doença ou condição aparecer. Já falamos diversas vezes sobre a importância de coletar as células-tronco jovens justamente por esse motivo. Quanto antes coletar, melhor a qualidade da célula por conta de sua juventude.

Medicina regenerativa com células-tronco.

A medicina regenerativa é a prática de regenerar o corpo utilizando as células-tronco. Ela já é bastante comum no mundo todo. Agora o Brasil também está pronto para abraçar essa prática médica por conta dos últimos avanços no país. A medicina regenerativa consiste em utilizar células-tronco criopreservadas para regenerar tecidos e células danificadas dos pacientes. Em muitos casos, a medicina regenerativa utiliza também biomateriais. Biomateriais podem ser hidrogéis ou mesmo uma espécie de Band-Aid absorvível pela pele. A diferença é que, nesse caso, eles podem ser usados com as células-tronco para promoverem a regeneração do corpo.

Além dos biomateriais, a medicina regenerativa também precisa transformar as células-tronco no tipo de célula que o paciente precisa. Por isso, também se utiliza Sinalizadores. Esses sinalizadores podem ser sinais químicos ou físicos que indicam para as células-tronco o tipo de célula que ela tem que formar. O corpo já faz isso naturalmente, mas, em laboratórios como o da R-Crio, podemos também fazer isso in vitro e entregar as células prontas para a regeneração.

o que é medicina regenerativa

Entidades envolvidas na medicina com células-tronco.

Como falamos anteriormente, o uso de células-tronco na saúde é bastante difundido no Brasil e no mundo. Os estudos e a prática da medicina com células-tronco vem crescendo ano a ano no mundo todo. De acordo com o Site PubMed, da National Library of Medicine, dos EUA, em 2021 tivemos 41.313 publicações científicas com o termo Stem Cell (células-tronco em inglês). Há 10 anos, em 2011, esse número foi de 22.741. Por esse e outros motivos, diversas entidades nacionais e internacionais estão se envolvendo cada vez mais para a disseminação do tema.

Abaixo estão algumas entidades nacionais e internacionais que possuem muitas informações sobre a prática da medicina com células-tronco.

Alliance for Regenerative Medicine (Aliança pela Medicina Regenerativa).

Se você acompanhou nosso Instagram nesse mês de março, viu que publicamos sobre alguns Produtos de Terapia Celular. Os produtos de terapia celular divulgados foram retirados do site Alliance for Regenerative Medicine. Ele é dedicado à incentivar o desenvolvimento das terapias avançadas ao redor do mundo. Segundo o site, eles representam os interesses de mais de 400 membros de 25 países. Dentro do site, eles divulgam os Produtos de Terapia Avançada (PTAs) aprovados ao redor do mundo. Também explicam qual entidade responsável pela aprovação e qual efeito terapêutico do produto. Procure a aba “Available Products” para ver todos PTAs aprovados no mundo.

Sobracel – Sociedade Brasileira de Terapia Celular

A Sobracel foi fundada em 2020 pela R-Crio e Anadem. O objetivo da sociedade é se tornar um vértice da medicina regenerativa no Brasil, unindo médicos, pesquisadores, agentes regulatórios, conselhos federais na área da saúde, agentes da comunicação e sociedade. A operação já realizou 4 encontros, entre eles virtuais e presenciais. O de maior destaque foi o Mérito Científico no final de 2020. O evento, realizado no Edifício Itália, em São Paulo, prestigiou pesquisadores e clínicos de destaque na área da terapia celular.

RENETA – Rede Nacional de Especialistas em Terapias Avançadas

O RENETA busca dar suporte à Anvisa quanto à ensaios clínicos e registro de produtos de Terapias Avançadas (PTAs) no Brasil (entenda o que são elas aqui). O site é um projeto da Anvisa em cooperação técnica com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Ele conta com um time de especialistas em Terapias Avançadas, e busca promover conteúdos técnicos para maior controle dos produtos de terapia avançada. No site também podemos encontrar os PTAs aprovados no Brasil e os estudos clínicos de PTAs sendo realizados nesse momento.

ISCT – International Society for Cell and Gene Therapy (Sociedade Internacional de Terapia Celular e Gênica).

A ISCT foi fundada em 92 visando a translação das pesquisas laboratoriais para a prática clínica. Dr. José Ricardo Muniz Ferreira, presidente e fundador da R-Crio, é membro da sociedade. Entre os profissionais da sociedade, há pesquisadores, clínicos, membros dos conselhos regulatórios e parceiros industriais envolvidos na promoção de saúde com células-tronco. Eles promovem reuniões anuais com os membros para passarem diretrizes sobre o assunto. Para mais informações sobre o assunto, você pode visitar o site ou o Twitter da instituição.

ISSCR – International Society for Stem Cell Research (Sociedade Internacional para Pesquisas com Células-tronco).

Com mais de 4.000 membros em 65 países, a instituição também busca fazer a translação da bancada para a prática clínica. A sociedade busca promover a colaboração global entre os cientistas envolvidos em pesquisas com células-tronco. Dessa forma, a entidade atua de forma definitiva na promoção da medicina regenerativa com células-tronco no mundo. De acordo com o site da entidade sem fins lucrativos, eles representam academias e indústrias em assuntos abrangentes que envolvem o bem estar de pacientes e suas famílias. Também visam educar o público e entidades governamentais e regulatórias quanto aos princípios básicos das ciências utilizando células-tronco. Você pode conhecer melhor a instituição por aqui.

Células-tronco: um novo olhar para a saúde.

Portanto, os próximos anos guardam muitas novidades para a medicina. Estamos entrando em um caminho sem volta. Com o avanço da longevidade, a medicina tende à retornar às origens biológicas. Células-tronco são as peças de reposição que faltavam para alcançarmos o binômio da longevidade com qualidade de vida. Elas hoje já são consideradas verdadeiros medicamentos pela Anvisa. São uma nova peça importante da indústria farmacêutica, a qual está habituada historicamente a trabalhar com químicos e fármacos. Agora, novos horizontes se expandem entre médicos e farmacêuticas com um medicamento natural e próprio de nosso corpo: nossas próprias células.

Continue lendo nosso blog para mais informações sobre medicina regenerativa e células-tronco. Até um próximo texto!