A medicina e odontologia mundial vem mudando suas práticas com o passar do tempo. Com o aumento da longevidade da população, os profissionais de saúde enxergam novos desafios para a promoção de saúde. Seus pacientes estão vivendo mais, mas ainda com dificuldades causadas pelo avanço da idade. Nesse contexto, medicamentos e práticas tradicionais da medicina não são tão efetivos. O desafio agora é prevenir o aparecimento e tratar condições e doenças relacionadas ao envelhecimento, as quais estão cada vez mais comuns. A criopreservação de células-tronco é uma dessas alternativas preventivas.

Criopreservação de células-tronco.

A R-Crio é um laboratório de criopreservação de células-tronco. Isso significa que somos habilitados para coletar, processar e congelar células-tronco como forma preventiva e de mais acesso à saúde. A criopreservação é um método para congelar materiais biológicos, preservando suas características do mesmo momento da coleta. A técnica é principalmente utilizada para congelamento de óvulos, sêmen e células-tronco. São locais chamados de Centros de Criogenia.

Preservação de seu corpo jovem.

Você já deve ter ouvido falar sobre criopreservação em filmes de ficção científica. Muito provavelmente foi em um contexto de viagem espacial de longas distâncias para evitar que o corpo dos tripulantes envelheçam. Diferentemente dos filmes, onde eles congelam as pessoas inteiras, a criopreservação de células-tronco é uma forma real e acessível de preservar nosso organismo. De qualquer forma, na ficção e na realidade a criopreservação tem o mesmo propósito: preservar o material congelado.

criopreservação

Câmaras de criogenia no filme “Passageiros” de 2016 – Direitos Sony Pictures Brasil

A criopreservação de células-tronco é feita com nitrogênio líquido. Ele tem temperatura natural de -196ºC. Nessa temperatura, a idade metabólica da amostra congelada é paralisada. Isso significa que as células-tronco congeladas sempre terão a idade do beneficiário no momento da coleta.

Por exemplo, uma pessoa de 50 anos que coletou suas células-tronco do dente de leite com 6 anos de idade poderá utilizar suas células-tronco armazenadas – e todo potencial e saúde de sua infância – para promover um tratamento regenerativo.

Células-tronco como cartas ‘curingas’ do corpo.

Nesse contexto, não precisamos pensar em preservar nosso corpo inteiro. Precisamos focar em preservar nossas células-tronco. As células-tronco são células sem função definida. Na realidade, a principal função delas é se transformar em novas células.

As células-tronco mesenquimais são formadoras de tecidos sólidos do corpo humano. Elas podem se transformar em células de músculo, cartilagem, pele, neurônios, células de coração, vasos sanguíneos, células produtoras de insulina (pâncreas), entre muitos outros tipos. Por isso, a criopreservação de células-tronco é a forma mais próxima de preservarmos nosso corpo como nos filmes de ficção.

De uma maneira ou outra, estamos preservando nosso organismo, e a maior parte de nosso corpo, para uma vida mais segura e com novas formas de prevenção.

Então isso significa que vamos viver para sempre?

Claro que não. Provavelmente nunca iremos vencer a morte, mas talvez vivamos muito mais tempo do que estamos habituados. Com a criopreservação de nossas células-tronco poderemos gerar novas células para nosso corpo, ou gerar novos órgãos à medida que nosso corpo comesse a falhar. E detalhe: isso está muito próximo de acontecer (veja aqui).

Também é interessante que a criopreservação de células-tronco não tem data de validade. Ou seja, uma vez congeladas, elas poderão ficar armazenadas pelo resto da vida do beneficiário. A criopreservação é justamente a técnica de preservar materiais biológicos por muitos anos.

Os desafios da longevidade.

Sabemos que quando somos crianças nosso corpo é bem diferente. Uma fratura, por exemplo, se regenera rapidamente, e podemos correr e pular sem sentir dores ou cansaço. Com a chegada da idade, isso muda. Em um idoso, uma fratura pode significar meses em uma cadeira de roda, e não é incomum um adulto de meia idade ter lesões nos joelhos e dores nas costas.

Nosso envelhecimento é caracterizado pelo envelhecimento de nossas próprias células. Com o tempo, neurônios param de se comunicar corretamente, a pele não se regenera como antes e muitas outras funções de nossas células ficam comprometidas. Esse é um processo natural do organismo e inevitável se quisermos viver bastante.

Naturalmente, nosso corpo não foi feito para viver tanto quanto estamos vivendo hoje. Tecnologias e desenvolvimentos já proporcionaram diversas melhorias para nossa vida, como novos medicamentos, saneamento básico, conscientização sobre hábitos nocivos, entre outros pontos. Tudo isso contribuiu para um aumento artificial da expectativa de vida. Por isso, o desafio dos promotores de saúde nesse século é combater as doenças e condições que são inevitáveis no envelhecimento.

Como funciona a criopreservação de células-tronco?

Portanto, a criopreservação de células-tronco é a forma mais acessível de preservarmos nosso corpo para o futuro. Ela permite termos uma pequena parte de nosso corpo (nossas células) para serem usadas em processos regenerativos por toda a vida. Mas você sabe como funciona a criopreservação de células-tronco?

Temos células-tronco em todo nosso corpo, mas somente de alguns locais elas podem ser coletadas. A R-Crio coleta células-tronco do dente de leite, dente do siso, céu da boca e tecido adiposo (gordura). Independentemente do material coletado, o processo para fazer a criopreservação é sempre o mesmo.

O material coletado tem suas células-tronco isoladas. Isso é, separar as células-tronco da amostra. Dessa forma, podemos multiplicar as células-tronco e fazer os ensaios de qualidade necessários para elas serem utilizadas em tratamentos de saúde. Por fim, iremos realizar a criopreservação das células-tronco com todas suas características testadas e asseguradas.

Congelamento das células-tronco.

Quando a água é congelada, ela gera cristais. E dentro de nossas células há muita água! Quando esses cristais – que são pontiagudos – são formados, eles rompem as camadas das células e danificam a estrutura celular. Isso faz com que as células morram. O melhor exemplo disso são as frequentes lesões de alpinistas que sofrem com baixas temperaturas. As células das extremidades começam a morrer por conta do congelamento.

A criopreservação de células-tronco utiliza de uma rampa de caimento de temperatura. Isso significa que as células vão aos poucos perdendo temperatura até chegarem nos -196ºC. Além disso, são utilizados materiais de laboratório que inibem a formação de cristais, preservando a integridade das células mesmo após congeladas.

Certificado de Criopreservação.

A R-Crio também emite um Certificado de Criopreservação para cada beneficiário. Esse Certificado explica sobre o processo laboratorial realizado, quantidade de células armazenadas e identificação das células-tronco no tanque de nitrogênio líquido.

É extremamente importante a existência de um certificado. Ele é uma garantia da qualidade do material, mas também mais do que isso. Lembre-se que a criopreservação não tem data de validade, então provavelmente as células-tronco ficarão criopreservadas pelo resto da vida do beneficiário. Por isso é importante que o Certificado explique tudo que foi feito e também possa resistir ao efeito do tempo. A R-Crio emite o Certificado de Criopreservação em papel moeda, como um diploma de universidade.

criopreservação de células-troncos-tronco

Modelo de Certificado de Criopreservação da R-Crio

 

Criopreservação para mais acesso à saúde.

Em suma, a criopreservação é uma técnica bastante estabelecida, acessível e eficaz para preservar nosso organismo. Apesar disso, ainda há muita falta de informação. Muitos ainda acreditam ser algo de ficção científica. De fato, congelar um corpo inteiro é bastante distante da realidade, mas congelar uma fração de nosso corpo não é.

Esperamos que tenha gostado do texto de hoje. Planeje-se para fazer a coleta de suas células-tronco o quanto antes, garantindo o armazenamento do material mais jovem e mais saudável possível. Até um próximo texto!