O Outubro Rosa começou, e com ele as campanhas de conscientização sobre o câncer de mama e a importância do cuidado pessoal para diagnóstico precoce da doença. Nesse contexto, hoje estamos trazendo informações sobre o uso de células-tronco na cirurgia plástica, especificamente na reconstrução da mama em mulheres que passaram pela mastectomia (retirada cirúrgica de toda mama). Siga conosco nesse texto para conhecer as perspectivas da cirurgia plástica utilizando as células-tronco mesenquimais.

Câncer de Mama

O câncer de mama é o mais incidente em mulheres no mundo, de acordo com pesquisa da AIRC – Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (sigla em inglês) em 2020, e divulgação do INCA – Instituto Nacional de Câncer. A agência estima que, em 2020, houve aproximadamente 2,3 milhões de novos casos, representando 24,5% de todos casos de câncer em mulheres. Os números no Brasil acompanham o cenário mundial. O câncer de mama também é o câncer mais comum e também mais letal entre as mulheres, com exceção da região norte, onde o câncer de colo do útero apresenta mais mortalidade. O INCA diz que a incidência de câncer de mama tende a crescer progressivamente a partir dos 40 anos, assim como a mortalidade.

Prevenção ao Câncer de Mama

Existem alguns fatores que ajudam a reduzir o risco de ter câncer de mama. De acordo com o INCA, por meio de sua cartilha para prevenção do câncer de mama (baixe aqui), é possível prevenir o câncer de mama por meio de atividades físicas e  mantendo o peso corporal adequado, além de evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Todas mulheres – e homens –  devem ficar atentas ao câncer de mama. Entretanto, o Manual também destaca alguns fatores de risco para a incidência do câncer da mama. Leia sobre medicina preventiva aqui.

Fatores Comportamentais

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo (não fazer exercício);
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (raios x, mamografia, tomografia).

Histórias reprodutivas hormonais

  • Primeira menstruação (menarca) antes dos 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
  • Ter feito uso de contraceptivos orais (pílula anticoncepcional) por tempo prolongado;
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de 5 anos.

Hereditários e Genéticos

  • Histórico familiar de:
    • Câncer de Ovário;
    • Câncer de Mama em Homens;
    • Câncer de Mama em Mulheres, principalmente antes dos 50;

A mulher que possui alteração genética herdada na família, principalmente nos genes BRCA1 e BRCA2, têm risco elevado de câncer de mama.

Apenas 5 a 10% dos casos da doença estão relacionados a esses fatores, portanto PREVINA-SE sempre!

Células-tronco na Reconstrução da Mama

Acima de tudo, apesar do câncer de mama ser de alta incidência, felizmente muitas mulheres saem vencedoras dessa batalha. Como resultado, algumas cicatrizes ficam no corpo da mulher para sempre, comprometendo a saúde e também a autoestima. Hoje existem ferramentas que auxiliam o tratamento após a doença. As células-tronco estão presentes em alguns deles.

Reconstrução da mama com células-tronco

Em 2010, a Revista Veja relatou um caso surpreendente. Um cirurgião plástico japonês liderou um estudo que utilizou células-tronco da gordura de 20 mulheres que haviam retirado parte do seio por conta de um tumor. Um ano mais tarde, no Simpósio de Câncer de Mama em San Diego, nos EUA, o médico relatou que todas as vinte mulheres passavam bem, e os seios tinham sido reconstituídos sem uma gota sequer de silicone. E 79% delas ficaram satisfeitas com o resultado.

Primeiramente, para realizar a pesquisa, as pacientes passaram por uma lipoaspiração. Em seguida, a gordura foi tratada com enzimas e depois centrifugada, até que a parte com células-tronco fique isolada. Então essas células-tronco são misturadas com uma pequena quantidade de gordura e reinjetadas com seringas nos seios. Por serem células da própria paciente, não há risco de rejeição e não geram deformações, segundo a revista. Relembre sobre o uso de células-tronco na cirurgia plástica aqui.

Amenização de Linfedema causado pelo câncer de mama

O linfedema é o acúmulo de líquido linfático no tecido adiposo, causando inchaço (edema) e ocorre mais frequentemente nos braços e pernas. Ele é causado pela remoção dos linfonodos durante a cirurgia do câncer ou pelo próprio tumor que pode bloquear parte do sistema linfático. O blog Tudo Sobre Células-tronco divulgou um estudo dinamarquês em que 10 pacientes com linfedema decorrente do tratamento de câncer de mama. Todos foram tratados com células-tronco coletadas do tecido adiposo. As células-tronco foram processadas e injetadas nas axilas, e os médicos acompanharam os pacientes em intervalos de 1, 3, 6, 12 e 48 meses.

Segundo o Dr. Jørgensen, líder do estudo, os resultados do estudo levaram a equipe a concluir que o uso de células-tronco para linfedema é seguro, viável e melhora os sintomas do paciente, bem como a função dos membros superiores. Seis pacientes reduziram o tratamento habitual, que inclui o uso de roupas de compressão. Cinco sentiram que o linfedema havia melhorado substancialmente, e quatro afirmaram que refariam o tratamento.

Regeneração das glândulas mamárias

O blog Tudo Sobre Células-tronco também divulgou esse caso. Pesquisadores suíços e japoneses utilizaram células-tronco da polpa dentária para induzir a regeneração de glândulas mamárias. Nesse caso foram usados modelos animais (ratos), e as células-tronco conseguiram com sucesso formar glândulas mamárias nos camundongos fêmeas. Como conclusão do estudo, os pesquisadores injetaram células-tronco epiteliais dentárias sozinhas, sem células epiteliais mamárias para auxiliar a regeneração, como no início da pesquisa. De acordo com os autores, a capacidade das células-tronco epiteliais dentárias de formar dutos mamários na ausência de células epiteliais mamárias é exclusiva deste tipo celular, uma vez que nenhum outro tipo de células epiteliais não mamárias estudado até agora demonstrou este potencial.

Segundo o professor Mitsiadis, líder do estudo, a descoberta abre novos caminhos para o desenvolvimento de terapias baseadas em células-tronco que poderiam ser usadas para regeneração mamária no futuro. Pacientes que passaram por cirurgia de retirada da mama poderiam ser as principais beneficiadas com a técnica.

Armazene suas células-tronco hoje!

As terapias com células-tronco são possíveis por meio do armazenamento das células-tronco. Além do exemplos acima, existem inúmeras outras condições que estão sendo investigadas para serem tratadas com células-tronco. Por isso, o armazenamento vai além de nossas preocupações. Ele abre portas para uma gama de tratamentos inovadores para doenças e condições sem alternativa terapêutica.

A R-Crio faz a coleta de células-tronco pelo tecido adiposo (gordura), dente de leite, dente do siso e céu da boca (periósteo do palato). Dessa forma, crianças, adultos e idosos podem guardar suas células de hoje, garantindo o material mais jovem possível para ser utilizado ao longo de toda a vida.

Esperamos que tenha gostado desse texto. Visite outros textos de nosso blog para conhecer mais sobre o trabalho da R-Crio, além de conhecer as perspectivas da medicina e odontologia regenerativa no mundo todo. Até a próxima!