Saiba mais sobre se vale a pena armazenar as células-tronco do cordão umbilical e conheça uma nova oportunidade de proteger o futuro do seu filho!

Os pais sempre desejam o melhor para os filhos. E antes do nascimento da criança já são feitas várias escolhas pensado no futuro para o bebê. Nos preocupamos desde o enxoval até mesmo o planejamento financeiro.

E quando se fala em qualidade de vida e saúde, pode surgir a dúvida: vale a pena armazenar as células-tronco do cordão umbilical? Saiba mais sobre estas células especiais e entenda como você pode proteger o futuro do seu filho.

O que são células-tronco?

Nosso corpo é composto por diversos tipos de células que exercem funções distintas no nosso organismo. Já as células-tronco são um tipo especial! Nas condições adequadas, elas podem ser modificadas e transformadas em outras células específicas do nosso corpo.

O que muitos pais não sabem, é que existem diferentes tipos de células-tronco. Embora elas tenham características comuns, as células-tronco variam de acordo com sua origem e a capacidade de serem modificadas.

As células-tronco do cordão umbilical

Durante a gestação, um tipo de células-tronco que os pais podem ouvir falar com frequência são as provenientes do cordão umbilical. Elas são retiradas em uma oportunidade única: logo após o parto, quando o bebê já está sob os cuidados do pediatra.

As células-tronco do cordão umbilical são do tipo hematopoiética. Isso significa que elas são capazes de se diferenciar em células do sangue como hemácias, glóbulos brancos e plaquetas.

Vale a pena armazenar as células-tronco do cordão umbilical?

Muitos pais ficam com dúvida sobre se vale a pena armazenar as células-tronco do cordão umbilical. Por isso, é muito importante alguns esclarecimentos. Entenda:

  • As células-tronco do cordão umbilical podem apenas ser utilizadas para tratamentos de doenças hematopoiéticas, imunes e metabólicas como leucemia, linfomas e anemias.
  • As células-tronco utilizadas nestes tratamentos normalmente não são as do próprio doador. Isso porque estas doenças ocorrem devido a problemas genéticos, que certamente estarão presentes nas células-tronco do cordão umbilical da pessoa doente. Por isso, nestes casos é muito mais seguro utilizar as células-tronco de um doador saudável.
  • Assim, armazenar as células-tronco do cordão umbilical é uma opção interessante para os casos em que há uma pessoa na família com alguma doença que possa ser tratada com estas células.

Você tem outra oportunidade para proteger o futuro do seu filho

Para as mamães que querem proteger o futuro do filho através das células-tronco, existe uma outra oportunidade: as células-tronco do dente de leite!

Estas células especiais podem ser extraídas a partir de qualquer dente de leite! O procedimento para a coleta do dentinho é pouco invasivo, evitando uma experiência desagradável para as crianças, e deve ser realizado por um profissional credenciado à R•Crio.

As células-tronco do dente de leite são do tipo mesenquimal. Por isso, elas são capazes de se diferenciar em diversas outras células do corpo, como músculos, tecido nervoso, tecido adiposo, ossos, pele, tecido cardíaco e cartilagem. Os tratamentos possíveis e os estudos vão desde casos como queimaduras, até doenças complexas como Alzheimer, Autismo e Diabetes.

Outro fator importante é a possibilidade da criança utilizar as próprias células no caso de tratamentos futuros. Ao fazer o armazenamento das células-tronco do dente de leite de seu filho, que contêm o DNA dele mesmo, em caso de tratamentos o risco de rejeição pelo organismo é reduzido.

Os pais podem começar desde a gestação a planejar o armazenamento das células-tronco do dente de leite! Armazene: